segunda-feira, 16 de março de 2009

Acordou, levantou ainda vestida de preguiça e abriu a janela.

CORES!

Seus olhos de FURTA COR estavam inquietos, e por eles, resolveu sair desdobrando esquinas, atravessando as ruas aleatoriamente, sorrindo para quem quisesse sorrir.
Distribuía "BOM DIA!" feito qualquer produto em amostra grátis, e não se importava em não receber qualquer resposta em troca: com tanta tecnologia, destruição ambiental e consumismo predatório, concluiu que, talvez, a boa convivência, a cordialidade e a simpatia também estavam na lista de espécie em extinção.

Riu dela mesma!


Passou em frente a uma multidão e parou. Um discurso, uma massa praticamente analfabeta e faminta, um homem de terno. Que falava o homem? Nada..."Blá,blá,blá; consumam até a morte!"
Olhou em volta viu os rostos contemplando o que não se entendia e percebeu que mais uma lavagem havia sido despejada, destilada. Voltou a ziguezaguear as ruas.
Falou com ela mesma, levantando os braços e fazendo continência: "Sejamos imperialistas!"

Riu novamente.

Andava, parava, seguia as placas, se perdia. Ora lançava confusões de prosódia, ora lançava uma profusão de paródia. Dialogava com ela, com as árvores, ou qualquer um que quisesse ouvir suas teses de liquidificador.
Explicou uma, duas, várias vezes. Alguns entendiam, outros fingiam, outros nem tentavam.

DESISTIU! Achou melhor fazer uma canção.

Caiu a chuva. Não abriu guarda-chuva, nem correu pra algum abrigo; se molhou.
Ouviu alguém dizer que era "coisa do Diabo". E aí a mente voltou a produzir e mirabolar teses: "Se o tal Diabo é Lúcifer, e Lúcifer quer dizer anjo de luz, então Diabo não é vilão e ainda brilha!" disse ela quase em êxtase, numa exclamção em DÓ MAIOR.
Quase foi crucificada, apedrejada com os olhares sinistros dos fanáticos. Achou melhor então, não arriscar qualquer outra filosofia complexa.

CONCLUSÃO: Só é possível filosofar em alemão!

Voltou para casa e correu para despejar nas linhas do caderno suas desventuras do dia. Poesia concreta; prosa caótica. Se perdeu por lá.
Riu de tudo. Foi louca, careta, rebelde, drogada, beata, incrédula...tudo em um só dia.UFA! Cansou. Riu novamente e decidiu:

"Não quero nunca libertar-me das paixões da Carne.
Em todos os Sentidos."

3 Por aqui, um pouco mais de "etc.":

' Montreal. disse...

Você me orgulha!

N A I L A !
isso que diz o texto!
[aplausos]

=*

Flor Baez disse...

Adorei demais!

Darlan Machado disse...

Haha, muito bom. Boas idéias e bom de ler também.
Gostei. Escreva assim mais vezes. ;]

Abraços.