domingo, 25 de janeiro de 2009






Apresento-lhes, talvez, a metamorfose em pessoa: MENINA/MOÇA/MULHER.
Ela é todas as formas compactadas em uma e uma em diversas formas. Humor incostante; às vezes, perigoso. Pode fechar o tempo com densas nuvens ou estender o Sol num sorriso estonteantemente radiante.

Pretenciosa ao ponto de vista de outrem; ela por sua vez prefere chamar de "determinação aguda e afiada". Não se sabe ao certo quem está com a razão e antes que isto se torne uma teoria comportamental ou a enquadrem a algum conceito, ela imenda um outro assunto.

Não se acha genial; seria uma tola se pensasse assim. Só os tolos se acham gênios. Digamos que ela é uma pessoa suficientemente interessada e curiosa disposta a aprender. Não importa-se em somar, multiplicar, dividir, e por que não, subtrair conhecimento. Às vezes pensa que a vida pode ser resumida à uma inequação de 1º ou 2 grau. Ou seria uma equação? Ah, cansou! Não quer saber. Quer pulsar.

Impulsividade talvez seja sua "faca de dois gumes". Pensa que é uma qualidade e um ponto fraco ou defeito; chamem do que quiser. Ela não se importa.
Às vezes chego a pensar que é autista. Murmura, reclama, pergunta, discute com ela mesmo, ou com alguém que talvez meus olhos ainda não tenham a sensibilidade para enxergar.

E quando se mete a falar a língua dos gatos? Tem três (se acham mais gente do que gato, por sinal). Na verdade, ela tem o mesmo temperamento dos seus gatos; acho que é a convivência. Mas sim; quando se mete a conversar com eles, se perde em um mundo particular. Acredito que de tanto observá-la, já estou aprendendo a falar tal dialeto.

É minha fiel escudeira. Seja qual for a condição do tempo. Está ali. Falta-lhe um pouco de paciência como a mim também; mas só em alguns momentos. Respirar fundo e contar até 10 é o truque.
Perco as contas quando vou calcular o tempo que nos conhecemos. Talvez seja coisa de vidas passadas. Vai saber desses mistérios...
Temos nossos momentos de divergência; os momentos de TPM dela; os meus momentos de fossa...mas não deixamos que isso abale a estrutura de uma coisa chamada AMIZADE. Temos sede de conhcer o novo, de aprender, errar, acertar.
ELA É O PEDACINHO DE MIM.

O meu anjo da guarda, a minha melhor, fiel e inigualável amiga!
Te amo incondicionalmente Naraiana, Nara, Ana...ou qualquer uma de suas formas e cores! =]

1 Por aqui, um pouco mais de "etc.":

Naraiana Costa disse...

ja lhe disse que não se bole com o sentimental de alguem 22hrs!