terça-feira, 16 de junho de 2009

De mim, faço poeta!

E no afagar das minhas mãos arteiras, doce é som do ronronar que preenche as paredes.

Aprendi que pra driblar minhas incertezas, minhas divagações, meus anseios descontrolados, meus medos perceptíveis e gritantes, posso usar minhas mãos e a candura que eu nem sabia que existia em mim.

E é assim, afagando os meus dias que tenho amansado os gigantes, que de vez em quando, me aparecem enquanto pisco os olhos.


Foi talvez por isso que, hoje, eu me sinta/faço poeta.






[Pc quebrado, idas a lan house, pessoas barulhentas ao fundo. Esses dias serão turbulentos pra postar =/]

6 Por aqui, um pouco mais de "etc.":

Vanessa M. disse...

Se faça poeta, sinta-se poeta

=)

E com suas mãos, coloque pra fora as palavras de seu ventre

=**

Um blog sem maiores preocupações. disse...

"cuspa" heuaheuaheuaheauhea
muito bommm...
driblar incertezas em um mundo cheio delas não é tão só ser poeta, é algo mais sublime... =)

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Nana,

Eu acho fantástica sua forma de expressar emoção.

Beijo grande, menina linda.

Rebeca

-

Amanda disse...

Adoro LAN Houses.
Nunca consigo fazer tudo o que quero nelas.
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Mariane disse...

Oi! Passei por aqui para conhecer seu blog e adorei, parabéns!
Quando tiver um tempinho te convido a conhecer o meu:
compartilhandoleituras.blogspot.com
será muito bem vinda! Obrigada!

Bjus

Cristal - a louca. disse...

Sua sorte é que gosto de vc kkkk. A piada não pode ser perdida honney! Não pode!!!!! rs


Beijundas ^^