quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Coisas do Mundo Mudo



Fiquei sabendo da existência dele há pouco tempo, através de um grande amigo meu, em uma de nossas conversas filosóficas de bêbados de bar.
Contou-me sobre um Mundo mudo. Confesso que no início fui um pouco cético: nossa credibilidade já havia se rendido para um grande teor alcoólico no sangue e suas leotrias infantis. Como confiar num sujeito que delira diante dos efeitos das doses do uísque? Mas quando ele começou a explicar, gesticulando e quase desenhando numa lousa flutuante e fictícia, fui trocando a incredulidade por uma convicção de que meu grande companheiro estava em seu juízo perfeito.

Começou explicando-me que nesse Mundo, não era preciso dizer nada para que as pessoas pudessem se comunicar.

Obs.: Isso eu já tinha percebido pelo nome: “mundo MUDO”; questão de lógica. Resolvi não interrompê-lo com essa observação indelicada. Ele estava em êxtase por minha curiosidade e queria me explicar os detalhes para que pudesse entendê-lo. Bom amigo.

Segundo ele, existia uma lei que proibia que as palavras fossem proferidas. Achei um absurdo: ninguém podia falar? Que coisa chata! Olavo riu e explicou que a maioria das pessoas reage dessa mesma maneira, e continuou. Disse que essa lei foi criada após os mais sábios da cidade chegarem a conclusão que na maioria das vezes, palavras ditas em momento errado, à pessoa errada, na medida errada trazia conseqüências enormes e muitas vezes, irreparáveis. Então, acharam melhor evitar situações assim.
Tudo agora deveria ser através dos gestos, dos olhares, dos sons, cores, gostos, cheiros... Explicou-me que no começo foi difícil, pois nem sempre se tem paciência para ler as intenções, os desejos, os sentimentos do outro. Mas com o tempo, tudo ficou mais fácil. A harmonia, cumplicidade, intimidade eram invejáveis.

Fiquei encantado. Perguntei ao meu amigo onde fica esse maravilhoso mundo. Ele explicou que fica mais próximo do que pensamos, mas exige um pouco de cada um. Me disse que esse mundo fica mais próximo quando corações estão acorrentados um ao outro. E parou de falar do Mundo Mudo.

Acontece que ultimamente, nossos corações andam em carne viva, tentando se salvar em doses e doses e doses de leotrias alcoólicas.

2 Por aqui, um pouco mais de "etc.":

airlon disse...

...

APS

Luna Sanchez disse...

http://botecoliterario.files.wordpress.com/2007/06/carinho.jpg

^^