sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Bertold Brecht, uma possível transcrição e uma falta ideia


LISTA DE PREFERÊNCIAS

Alegrias, as desmedidas.
Dores, as não curtidas.
Casos, os inconcebíveis.
Conselhos, os inexeqüíveis.
Meninas, as veras.
Mulheres, insinceras.
Orgasmos, os múltiplos.
Ódios, os mútuos.
Domicílios, os passageiros.
Adeuses, os bem ligeiros.
Artes, as não rentáveis.
Professores, os enterráveis.
Prazeres, os transparentes.
Projetos, os contingentes.
Inimigos, os delicados.
Amigos, os estouvados.
Cores, o rubro.
Meses, outubro.
Elementos, os fogos.
Divindades, o logos.
Vidas, as espontâneas.
Mortes, as instantâneas.


Adoro esse poema de Brecht. Apesar de muitos dizerem que a versão em alemão é um pouco diferente, não muda a minha preferência por ele.
Já pensei em transcrevê-lo numa versão minha, com moldes meus. Mas, seria audácia demais (ou não!) querer modificar o belo em sua forma mais-que-perfeita, mesmo este não sendo em pretérito.
Na verdade ainda não fiz por falta de ideia. Tenho usado todas para continuar me sustentando e mantendo viva. Fato.

P.S. Hoje é sexta-feira!

3 Por aqui, um pouco mais de "etc.":

airlon disse...

poema legal, não conhecia! Acho que vc deveia transcrever sim, ficaria tipo aqueles 'bate-bola' que a gente vê em programas de coluna social, onde o entrevistador pergunta e vc tem de responder com a palavra que vem à sua cabeça; e hoje é sexta moça! Dia de beber! Ops, eu disse isso? Bjo, saudações musicais...

APS

Luna Sanchez disse...

Nanaaaaaaaaaaa, minha querida :

Faz, faz, faz! Quero vê-lo na tua versão, na tua linguagem : será um deleite!

Beijos de sábado, Dona Leoa! =)

ℓυηα

Amanda disse...

Tô precisando de uma morte instantanea.
Onde vende?