segunda-feira, 25 de maio de 2009

Quando se precisa escrever pra não implodir...

Tudo vazio.
Algumas coisas esquecidas por causa da pressa. Mas são só palavras não usadas, uns discos empoeirados e uns sorrisos de emergência. Ah! Também tem uma cortina azul-turquesa brincando com a brisa que entra pela janela que foi esquecida aberta.
O resto está completamente despovoado.

Não, não adianta gritar.
Só vai ouvir a sua voz ecoando por todos os cantos.


Agora o silêncio invade porta adentro e tudo fica um pouco sorumbático.
Me faz um favor? Apaga a luz pra mim quando sair? Obrigada...

7 Por aqui, um pouco mais de "etc.":

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Nana,

Quem manda escrever bonito, hein?

E esse vento traz tanta coisa... até o silêncio daquilo que grita.

Beijo grande, menina linda.


Rebeca

-

Vanessa M. disse...

E o que se faz com o vazio?

Nana de SouZa disse...

Rebeca: Mais uma vez obrigada. =D

Vanessa M.: Até agora tô tentando descobrir o que se faz...=/

Denise disse...

Nana tem "presentinho" lá no meu blog pra vc(Jogando rápido e saindo correndo)rs

beijo
Denise

Denise disse...

Nanaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Cade a coisa?

porque vamo combinar aquilo num pode ser gente rs

Sophia Anônima disse...

Você tem tanta poesia, tanta poesia que dá vontade de enxer uma garrafinha e jogar no mar, pra posteridade.

E quanto às divagações, o período pré-primaveira é complicado mesmo. Eu entro numa crise existencial sem tamanho, me afundo num mar de merda e pra sair só os céus dando as nuvens. Mas ó, tudo passa e muda. Pode não ser tanto pra melhor, mas passa e muda. Ou não. Eu já me perdi.

Um beijo grande, petite cherie