domingo, 17 de maio de 2009

E uma boa xícara de café...




Frio, cama, livro...Lençóis.
Boca, riso, rádio...Música.
Escuro, lâmpada, interruptor...Luz!
Olhos, cores, travesseiro...Abajur.
Violão, notas, ajustes...Sons.
Maquiagem, perfume, espelho...Reflexo!






E uma respiração lenta, tranquila e pensativa. Tudo se encaixava harmonicamente; o clima era de aconchego.
Às vezes irritava-se por tanta melancolia e tristeza que a acometia. Sabia que não era dada a sentimentalismos bobos. Às vezes irritava-se com tantos "às vezes".
Mas não importava-se por transparecer demais. Fora por muito tempo turva, nublada e obscura e chegou a conclusão de que isso a estava matando aos pouquinhos.
Tudo para ela e só dela; individualismo não mata, mas o egoísmo exacerbava a sensação insossa de ser só. Era de carne e osso também, poxa!
Cansou; aliás, sempre cansava-se de tudo. Sua inconstância era constante. Por vezes, era contraditória. Mas vem cá, quem não é?


Ah! Mas não queria pensar em nada disso hoje. Não hoje; quem sabe amanhã?
Limitava-se apenas a observar a fumaça que saía da sua caneca com café.
E lia.



Ai que frio bom aquele...







[P.S.: Obrigada ao Néctar e Flor pelo selo...aii, gente! Meu primeiro selo =D]

2 Por aqui, um pouco mais de "etc.":

Darlan Machado disse...

Vixi, você realmente não gosta dos dias chuvosos hein?
Mas o café sempre irá apaziguar estas situações^^
Lia o que? =p (curiosidade mortal)

Beijos.

R. disse...

Por aqui faz um frio glacial, tenho café mas acabaram os copos descartáveis e preciso buscar. Um livro pende na minha mesa, mas são tantas as coisas que não dá tempo pra estudar. Fico eu aqui, sem opção. Pior que a inconstancia, que o individualismo exarcebado, é ser obrigado a resignar-se. Oh céus!